SIX FLAG – Diversão garantida!

Six Flag é uma rede de parques de  diversão especializada em montanhas russas, mais de vinte no parque onde fomos. E o mais famoso e o que é considerado como o melhor de todos, é justamente o que fica na Califórnia, numa cidade próxima de Los Angeles, cerca de quarenta minutos de viagem, chamada Valencia.

Claro que não poderíamos perder essa oportunidade, já que adoramos esse tipo de brinquedos radiais e que estávamos tão próximos. Aliás, todos os parques que estavam perto de nós e que tinham montanhas russas nos fomos. Só neste parque foram muitas e se somadas aos dos outros parques, dá pra montar um blog só de montanhas russas.

Demos sorte, pois mesmo sendo sábado o parque não estava cheio e as filas estavam pequenas, de forma que pudemos andar duas vezes em várias montanhas, uma vez nas cadeiras da frente e outra no meio ou nas últimas cadeiras.

Como de costume nesta época do ano na Califórnia, o calor estava de rachar! Em certo momento deu vontade de parar numa sombra e esperar uns trinta minutos, até o sol diminuir um pouco, mas não havia tempo, uma missão muito importante deveria ser cumprida, explorar o Six Flag o máximo possível. 

Para combater o calor, compramos um refil infinito de bebidas para aquele dia, mas se você quiser pode comprar um refil para o ano todo. Tem também um passaporte que dá direito de usufruir do parque o ano todo. Perfeito para quem mora por aqui.

Para aqueles que nunca se sentaram na primeira fileira, indico que façam, pois a pressão é muito maior e a visão é muito privilegiada, mas você não for muito fã de montanhas russas não vá na frente. Nas montanhas russas mais fortes a força da gravidade na primeira cadeira é muito maior que nos outros assentos. Não me pergunte por que, mas foi o que eu e minha esposa sentimos e com muita clareza.

O Six Flag é associado a Warner Bros Studios, assim, suas montanhas russas são temáticas e usam varios super heróis como tema para suas atrações. Haviam no parque montanhas russas muito legais e era mais legal ainda quando você sabia que aquele brinquedo era do Batman, ou do Super Homem por exemplo.

O primeiro brinquedo que nós fomos, foi o desafio do Lex Luthor, que não é uma montanha russa, mas sim um elevador que sobe e desce. Para não estragar a surpresa daqueles que por ventura irão nesta atração do Six Flag da Califórnia, vou dizer apenas que é muito legal e muito alta a plataforma. Fomos duas vezes nesta atração.

De lá fomos para uma montanha russa chamada Colossus, que é uma montanha russa híbrida (metade de ferro, metade de madeira. Ela é grande e muito boa e grande, fomos duas vezes nessa e uma delas na frente.

A próxima emoção radical que enfrentamos foi uma montanha russa chamada scream, que também é uma boa atração, mas é comum, sem nenhuma novidade. Neste brinquedo há à disposição dos visitantes, cofres para guardar seus pertences, mas não os use, pois são pagos e desnecessários. Você coloca seus pertences no chão mesmo, perto da cadeira que você está, como todo mundo faz.

Esta montanha russa abaixo,  The Riddler’s Revenge, para mim foi a mais legal, pois nunca tinha visto uma como essa, onde os participantes vão em pé. Isso mesmo, em pé! É uma posição super confortável, pois você se apoia sobre as pernas, diferente das outras montanhas russas em que os aventureiros vão sentados. Essa está entre a cinco melhores de toda viagem.

A próxima montanha russa de nossa saga foi a Goliath, que é uma das mais tensas do parque, pois ela é muito alta e tem quedas negativas, o que faz desse brinquedo, diversão de gente grande. Pode ir nela que é certeza de muita aventura. Fomos duas vezes e uma delas na primeira fileira. 

Outra atração super legal é a “Batalha por Metrópoles”, onde você passa por uma experiência interativa, ajudando a Liga da Justiça a salvar Metrópoles dos super vilões. Você combate os inimigos com uma pistola que soma seus postos, enquanto o carrinho faz manobras radicais entre cenários e super telas 4D. Muito bom o brinquedo!

E durante a fila – que não estava grande, você passa por um briefing, onde o Super Homem e o Cyborg explicam a nossa missão, já que somos os “voluntários” na batalha do bem contra o mal em Metrópoles.

Seguimos para a montanha russa do Batman e ela faz jus ao herói que empresta o nome a ela, pois é muito boa, com muita pressão gravitacional, curta e rápida, daquelas que não dá tempo nem de processar o que aconteceu. Fomos duas vezes neste brinquedo também.

Como este parque é especializado em montanhas russas, eles conseguem criar brinquedos bem diferentes. É caso da montanha russa que leva o nome do Lanterna Verde. Ela é tão diferente que você não entende pra onde o assento está virando e é um pouco bruta também, com movimentos bruscos. Gostamos dela, mas não quisemos passe de novo, só uma vez já foi suficiente!

Como estávamos com muito tempo fomos em duas montanhas russas com água, a Tidal Wave, onde pegamos uma fila enorme, para um brinquedo sem graça e o Jet Stream, que é perfeito para crianças.

O parque é muito grande, é bom ter uma mapa para organizar a sequência das atrações. Digo isso, pois demoramos para chegar na montanha russa do Ninja, que fica numa colina um pouco distante destas que acabei de descrever. Esta atração é boa para “começar os trabalhos” no barco, pois é bem tranquila.

Como perdemos tempo na fila do Tidal Wave, a coisa virou. Agora estávamos sem tempo para fazer todas e as montanhas do parque, a solução foi apertar o passo: “Run Forest. Run!”. E andamos rápido para a Tatsu, que é uma das melhores do parque, pois os visitantes vão deitados com a barriga para baixo, dando a impressão de estarem voando. Essa é a mesma posição da Manta, que é uma montanha russa do Sea World, em Orlando. Fomos só uma vez, mas fomos na primeira fileira.

Ainda apertando o passo fomos para “Super Man – Escape from Kripton”. A entrada da atração é feita com o objetivo de envolver os visitantes no enredo da história, que leva os participantes a participarem de uma fuga de Kripton, que é o planeta natal do Super Homem e está em colapso, preste a implodir. Novamente, para não estragar a surpresa, que os organizadores do parque tentaram manter, não vou falar sobre o que acontece, apenas que é muito bom e que é digna de ter o nome do homem de aço.

Chegamos no parque as dez da manhã, horário que o parque abre, saímos da atração do Super Man faltando dez minutos para as dez da noite, isto é, faltando dez minutos para o fechamento do parque, não tivemos outra alternativa senão correr, pois ainda haviam mais duas montanhas russas a serem desbravadas, então corremos!

Fomos para uma montanha russa que já estava fechada, os sacanas fecharam antes das 22:00 horas, mas lá a funcionária do parque nos informou que ainda havia uma atração funcionando, a Viper e para lá nos corremos, literalmente! Ela era um tanto quanto longe, mas conseguimos chegar a tempo.

Essa montanha russa, a Viper, é um tanto quanto bruta, mas literalmente bruta, pois ela tem curvas muito fortes, a ponto de fazer a cabeça se chocar com força contra a proteção do assento. Quando levamos a segunda pancada forte o brinquedo já perdeu a graça. Fomos na primeira fila e poderiamos ir mais uma vez, mas já tinha sido o suficiente.

E depois de 12 horas de muito sol na cabeça, muitos loops e curvas radicais, banho de água e de um sprint final, feito para alcançarmos o último brinquedo, o resultado foi duas pessoas completamente satisfeitas e uma distensão na coxa.

#partiu próxima cidade!