SIX FLAG – Diversão garantida!

Six Flag é uma rede de parques de  diversão especializada em montanhas russas, mais de vinte no parque onde fomos. E o mais famoso e o que é considerado como o melhor de todos, é justamente o que fica na Califórnia, numa cidade próxima de Los Angeles, cerca de quarenta minutos de viagem, chamada Valencia.

Claro que não poderíamos perder essa oportunidade, já que adoramos esse tipo de brinquedos radiais e que estávamos tão próximos. Aliás, todos os parques que estavam perto de nós e que tinham montanhas russas nos fomos. Só neste parque foram muitas e se somadas aos dos outros parques, dá pra montar um blog só de montanhas russas.

Demos sorte, pois mesmo sendo sábado o parque não estava cheio e as filas estavam pequenas, de forma que pudemos andar duas vezes em várias montanhas, uma vez nas cadeiras da frente e outra no meio ou nas últimas cadeiras.

Como de costume nesta época do ano na Califórnia, o calor estava de rachar! Em certo momento deu vontade de parar numa sombra e esperar uns trinta minutos, até o sol diminuir um pouco, mas não havia tempo, uma missão muito importante deveria ser cumprida, explorar o Six Flag o máximo possível. 

Para combater o calor, compramos um refil infinito de bebidas para aquele dia, mas se você quiser pode comprar um refil para o ano todo. Tem também um passaporte que dá direito de usufruir do parque o ano todo. Perfeito para quem mora por aqui.

Para aqueles que nunca se sentaram na primeira fileira, indico que façam, pois a pressão é muito maior e a visão é muito privilegiada, mas você não for muito fã de montanhas russas não vá na frente. Nas montanhas russas mais fortes a força da gravidade na primeira cadeira é muito maior que nos outros assentos. Não me pergunte por que, mas foi o que eu e minha esposa sentimos e com muita clareza.

O Six Flag é associado a Warner Bros Studios, assim, suas montanhas russas são temáticas e usam varios super heróis como tema para suas atrações. Haviam no parque montanhas russas muito legais e era mais legal ainda quando você sabia que aquele brinquedo era do Batman, ou do Super Homem por exemplo.

O primeiro brinquedo que nós fomos, foi o desafio do Lex Luthor, que não é uma montanha russa, mas sim um elevador que sobe e desce. Para não estragar a surpresa daqueles que por ventura irão nesta atração do Six Flag da Califórnia, vou dizer apenas que é muito legal e muito alta a plataforma. Fomos duas vezes nesta atração.

De lá fomos para uma montanha russa chamada Colossus, que é uma montanha russa híbrida (metade de ferro, metade de madeira. Ela é grande e muito boa e grande, fomos duas vezes nessa e uma delas na frente.

A próxima emoção radical que enfrentamos foi uma montanha russa chamada scream, que também é uma boa atração, mas é comum, sem nenhuma novidade. Neste brinquedo há à disposição dos visitantes, cofres para guardar seus pertences, mas não os use, pois são pagos e desnecessários. Você coloca seus pertences no chão mesmo, perto da cadeira que você está, como todo mundo faz.

Esta montanha russa abaixo,  The Riddler’s Revenge, para mim foi a mais legal, pois nunca tinha visto uma como essa, onde os participantes vão em pé. Isso mesmo, em pé! É uma posição super confortável, pois você se apoia sobre as pernas, diferente das outras montanhas russas em que os aventureiros vão sentados. Essa está entre a cinco melhores de toda viagem.

A próxima montanha russa de nossa saga foi a Goliath, que é uma das mais tensas do parque, pois ela é muito alta e tem quedas negativas, o que faz desse brinquedo, diversão de gente grande. Pode ir nela que é certeza de muita aventura. Fomos duas vezes e uma delas na primeira fileira. 

Outra atração super legal é a “Batalha por Metrópoles”, onde você passa por uma experiência interativa, ajudando a Liga da Justiça a salvar Metrópoles dos super vilões. Você combate os inimigos com uma pistola que soma seus postos, enquanto o carrinho faz manobras radicais entre cenários e super telas 4D. Muito bom o brinquedo!

E durante a fila – que não estava grande, você passa por um briefing, onde o Super Homem e o Cyborg explicam a nossa missão, já que somos os “voluntários” na batalha do bem contra o mal em Metrópoles.

Seguimos para a montanha russa do Batman e ela faz jus ao herói que empresta o nome a ela, pois é muito boa, com muita pressão gravitacional, curta e rápida, daquelas que não dá tempo nem de processar o que aconteceu. Fomos duas vezes neste brinquedo também.

Como este parque é especializado em montanhas russas, eles conseguem criar brinquedos bem diferentes. É caso da montanha russa que leva o nome do Lanterna Verde. Ela é tão diferente que você não entende pra onde o assento está virando e é um pouco bruta também, com movimentos bruscos. Gostamos dela, mas não quisemos passe de novo, só uma vez já foi suficiente!

Como estávamos com muito tempo fomos em duas montanhas russas com água, a Tidal Wave, onde pegamos uma fila enorme, para um brinquedo sem graça e o Jet Stream, que é perfeito para crianças.

O parque é muito grande, é bom ter uma mapa para organizar a sequência das atrações. Digo isso, pois demoramos para chegar na montanha russa do Ninja, que fica numa colina um pouco distante destas que acabei de descrever. Esta atração é boa para “começar os trabalhos” no barco, pois é bem tranquila.

Como perdemos tempo na fila do Tidal Wave, a coisa virou. Agora estávamos sem tempo para fazer todas e as montanhas do parque, a solução foi apertar o passo: “Run Forest. Run!”. E andamos rápido para a Tatsu, que é uma das melhores do parque, pois os visitantes vão deitados com a barriga para baixo, dando a impressão de estarem voando. Essa é a mesma posição da Manta, que é uma montanha russa do Sea World, em Orlando. Fomos só uma vez, mas fomos na primeira fileira.

Ainda apertando o passo fomos para “Super Man – Escape from Kripton”. A entrada da atração é feita com o objetivo de envolver os visitantes no enredo da história, que leva os participantes a participarem de uma fuga de Kripton, que é o planeta natal do Super Homem e está em colapso, preste a implodir. Novamente, para não estragar a surpresa, que os organizadores do parque tentaram manter, não vou falar sobre o que acontece, apenas que é muito bom e que é digna de ter o nome do homem de aço.

Chegamos no parque as dez da manhã, horário que o parque abre, saímos da atração do Super Man faltando dez minutos para as dez da noite, isto é, faltando dez minutos para o fechamento do parque, não tivemos outra alternativa senão correr, pois ainda haviam mais duas montanhas russas a serem desbravadas, então corremos!

Fomos para uma montanha russa que já estava fechada, os sacanas fecharam antes das 22:00 horas, mas lá a funcionária do parque nos informou que ainda havia uma atração funcionando, a Viper e para lá nos corremos, literalmente! Ela era um tanto quanto longe, mas conseguimos chegar a tempo.

Essa montanha russa, a Viper, é um tanto quanto bruta, mas literalmente bruta, pois ela tem curvas muito fortes, a ponto de fazer a cabeça se chocar com força contra a proteção do assento. Quando levamos a segunda pancada forte o brinquedo já perdeu a graça. Fomos na primeira fila e poderiamos ir mais uma vez, mas já tinha sido o suficiente.

E depois de 12 horas de muito sol na cabeça, muitos loops e curvas radicais, banho de água e de um sprint final, feito para alcançarmos o último brinquedo, o resultado foi duas pessoas completamente satisfeitas e uma distensão na coxa.

#partiu próxima cidade!

CIDADE XI – LOS ANGELES 

Deixamos as maravilhas do Gran Canyon ainda extasiados com tantas belezas e com aquela imensidão que nenhuma câmera no mundo ou nenhum filme conseguem reproduzir e fomos para a California.

Depois de sete horas de viagem por uma estrada movimentada, entramos em Los Angeles, que é a segunda maior população dos EUA – perdendo apenas para New York – e já sentimos o trânsito pesado da cidade, onde as pessoas businam muito e te empurram se você tentar andar dentro do limite de velocidade.

Como haviamos mudado as datas por causa do curso de tiro que fizemos em Phoenix, perdemos a reserva que tínhamos e nosso Personal Concierge só conseguiu hospedagem em um hotel “meia boca”, que descobrimos depois que fica ao lado de um karaoke, que é na verdade uma fachada para um prostíbulo. Pensa numa vizinhança de altíssima procedência! Mesmo sendo um hotel mais modesto, ele ainda ficou muito bem posicionado no quesito cama e conseguiu ficar no Top Three no quesito chuveiro. Aliás, os hotéis do Brasil tem muito a aprender sobre camas macias e chuveiros quentes com os do EUA!

Devidamente instalados, a Rhainna já havia feito as pesquisas sobre a cidade e o primeiro lugar a ser visitado em Los Angeles foram os estúdios da Warner Bros, que é o local onde várias séries e filmes de sucesso mundial são filmadas. Para nós amantes da sétima (cinema) e da nona arte (história em quadrinhos), esse passeio prometia muito, já que foi a Warner Bros que produziu clássicos filmes vomo Super Homem, Batman, Mulher Maravilha, Lanterna Verde, séries como Dexter, Gothan, filmes como 300 de Sparta e vários outros.

No centro de atendimento ao visitante você compra um ingresso que te leva em pequenos carros, através dos vários prédios dos Studios Warner Bros, onde você consegue ver onde foram filmados vários sucessos do cinema, mas algumas atrações, caso você queira participar, devem ser pagas á parte.

Como de costume nessa região dos Estados Unidos, o sol estava de lascar e o passeio seguia, conduzido por um guia que mal conseguia respirar, de tanto que falava prápido. O inglês dele era terrível!

Não é permitido fazer vídeos, apenas fotos e se você quiser, pode fazer uma foto com uma estatueta verdadeira do Oscar.

Ou ainda pilotar a super moto do Batman pelas ruas de Gothan City. É só pagar um pouco a mais que a experiência é entregue a você num pendrive em vídeo e foto. É muito engraçado o vídeo.

O vídeo é muito legal!

Confesso que esperava mais do passeio, mas creio que não foi uma falha deles e sim excesso de expectativa da minha parte. #eduardo 

Chegou então o momento de irmos conhecer o que imagino ser a parte mais famosa de Los Angeles, Hollywood!

Fomos para um shopping chamado Hollywood & Highlands. É um complexo de lojas e restaurantes que fica ali mesmo na Hollywood Boulevard, do ladinho do Teatro Chinês, aproveitamos para almoçarmos no Hard Rock. Gostamos muito de lá e sempre procuramos por ele nos outros estados. É neste complexo que acontece o “Red Carpet” do Oscar e lá também tem um lugarzinho no final do shopping onde dá pra ver o letreiro “HOLLYWOOD”. Até tentamos tirar uma foto, mas estava muito distante.

Bem lá no fundo está escrito HOLLYWOOD. Você viu?

O Eduardo estava ansioso pra ver o famoso letreiro, parecia criança perguntando toda hora onde a gente ia pra ver rsrs. Acho que ficou decepcionado pois, como fica longe, dá pra ver, mas não é uma vista tão maravilhosa rsrsrs… nas fotos mal aparece kkk… também aproveitamos o clima quente da Califórnia pra tomar um sorvete recomendado por amigos do Brasil, o Cold Stone, não deixou a desejar, uma delícia e bem diferente.

Saímos de lá já na CALÇADA DA FAMA, onde ficam as estrelas dos artistas moldadas no passeio. Percorremos apenas duas das várias quadras, é legal conhecer mas nada que nos fizesse ficar muito empolgados, assim como o CHINESE THEATRE, ali mesmo em Hollywood  Boulevard, onde ficam as mãos e sapatos de atrizes. 

O interessante é que essa tradição começou com uma atriz que pisou acidentalmente no cimento fresco. Além de mãos e sapatos tem sempre uma frase de efeito ou coisas curiosas pelo local e só. #rhainna

Partirmos para o Museu de Hollywood, que também é visita imperdível para os cinéfilos, ele fica bem perto de onde estávamos, dá pra ir á pé. 

Muitos objetos, carros, roupas originais de artistas e filmes estão no acervo do museu, além de muita história e curiosidades sobre artistas do passado, como Marilyn Monroe.

No museu, que tem quatro andares, existe um porão dedicado aos filmes de terror com alguns ambientes surpreendentes, como os do filme Silêncio dos Inocentes – que é um nossos preferidos.

Se você não viu esse filme, não perca tempo e confira esse clássico do cinema. O que poucas pessoas sabem é que existem três filmes sobre essa história e todos são ótimos! #eduardo

Como a vista do letreiro do shopping não agradou, saímos de lá para ir ver de perto o tão falado letreiro de Hollywood, imagino que como nós, muitas das pessoas que viajam a Los Angeles desejam tirar fotos do famoso letreiro.

Esta foto foi feita junto com a capa, só que sem corte.

Em nosso imaginário, achávamos que encontrar o tal letreiro seria fácil. Bem, na verdade não é tão simples, depois de muita pesquisa achei um endereço e jogamos no GPS, não dá pra chegar tão próximo quanto gostaríamos, mas é o máximo possível. O letreiro fica num terreno particular, onde é proibida a entrada. Assim como nós, haviam vários outros turistas se movimentando pelo local em busca de um bom ângulo para a foto. Nós não fomos muito bem sucedidos, nossa foto ficou muito aquém das nossas expectativas. 😓

De lá fomos para o OBSERVATÓRIO GRIFFITH, local onde estivemos no dia anterior quando chegamos à Los Angeles em nossa primeira busca ao letreiro, porém, já estava fechado e não dava pra ver nada já que não há iluminação no letreiro.

Pois bem, desta vez fomos para ver o pôr do sol lá de cima. Ao nos aproximarmos, surpreendemo-nos com a grande movimentação no local, foi muito difícil conseguir estacionar o carro e quando conseguimos o sol já estava dando seus últimos suspiros no horizinte, antes de desaparecer totalmente, mas conseguimos salvar alguns cliques😎.

Pôr-do-sol no Observatório.

Aproveitamos que já estávamos por lá e com vaga no estacionamento garantida e fomos conhecer o observatório propriamente, que é um dos melhores dos EUA.

Valeu muito a pena o passeio pelo local, tanto que desistimos de ir assistir ao apresentação da sinfônica de Los Angeles para explorar melhor o prédio, que é muito bonito e cheio de coisas interessantes. Fomos também ao planetário para ver uma apresentação muito legal sobre o Big Bang, uma experiência que vale a pena fazer, adoramos o local. Na minha opinião, apesar de meio desconhecida é a melhor atração de Los Angeles. Ficamos lá até fechar e saímos a contra gosto. Um destalhe: a entrada para o observatório é gratuita, mas a apresentação e o estacionamento é pago. #rhainna

A cidade tem muita coisa para se conhecer, assim é preciso eleger algumas que são de interesse e correr atrás delas. Por exemplo, gostamos muito dos filmes da franquia Veloses e Furiosos, nada mais justo que visitar a casa de Dominic Toretto, o “Bad Ass” do filme. Nós gostamos muito, mas se você não for muito fã dos filmes, não vá! É bem longe e não há nada preparado para turistas lá, apenas a casa que foi usada nas gravações.

De lá fomos para outro local famoso da cidade que, ao chegarmos lá, descobrimos que não tem nada demais, Beverly Hills.

Na verdade, apenas uma avenida, a Rodeo Drive, que é o Grand Point e já foi palco para as gravações de muitos filmes, como Uma Bela Mulher. Você pode encontra lá várias lojas de super grifes mundiais e ótimos restaurantes. Aproveitamos para almoçar num ótimo restaurante italiano, aliás é a culinária ibérica que está nos salvando, pois já enjoamos da comida típica daqui, que várias vezes é apenas fast food.

No final, ou no cameço da avenida, há uma praça com uma fonte e sobre ela o nome Bervely Hills, onde vários turistas vão para fazer fotos, nada extraordinário. Como bons turistas que somos, fizemos a nossa também. 

Los Angeles é uma megalópole cosmopolita, de trânsito terrível, pessoas amistosas e ruas mal cuidadas. Como local para conhecer nos EUA, se houverem outras possibilidades além desta cidade, como por exemplo New York, San Francisco, New Orleans e Até San Antonio, no Texas eu escolheria as segundas opções, questão de gosto.

Outra atração turística que fica próximo de Los Angeles e que nos interessa muito é um parque de diversões chamado Six Flag, que é um parque só de montanhas russas. Claro que fomos nele, mas essa é outra aventura!

Já que você nos acompanhou em nossas histórias até aqui, aproveite e faça sua inscrição no Blog, assim você não perde nada, recebe todas as publicações por e-mail. #eduardo